PERFIL DO VOLUNTARIADO

 

De acordo com informações de boa parte dos nossos entrevistados, o principal pré-requisito para ser um voluntário, é ter tempo livre. Algumas pessoas conseguem fazer ótimos trabalhos dedicando um período por semana a quem necessita. Como é o caso de alguns dos voluntários que relatamos aqui no Blog, em algumas histórias contadas aqui, o voluntário se dedica integralmente ao projeto, mas em outros casos, o voluntário dedica uma parte do seu tempo a quem precisa de ajuda.

Outra característica importante para aqueles que gostariam de auxiliar, é o voluntário ter vontade de ajudar e gostar do que faz, ou pretende fazer. Ou seja, o voluntário pode buscar alguma atividade que ele goste ou tenha afinidade, assim o trabalho voluntário pode vir a se tornar um hobby. Como o da voluntária Cristina que escolheu ajudar uma entidade com trabalhos artesanais, já que por muitos anos foi professora de artes e tem bastante afinidade com o trabalho manual.

Muitos voluntários também relatam a satisfação em ajudar o próximo e ver a felicidade em outra pessoa, como relata a Daniela que participa de cortes de cabelo para comunidades carentes. Ela conta que “a felicidade estampada no rosto das pessoas, muda o dia de todos que participam do projeto”, e é exatamente esta satisfação que conta quando se participa de um trabalho voluntário, e pretende contribuir com o próximo.

Outro lado do voluntariado, além de ajudar aqueles que necessitam, é poder auxiliar pessoas a não irem para um caminho obscuro, como o das drogas. É o que faz o voluntário Hugo, da escola de basquete Brutus, que oferece uma oportunidade para crianças e adolescentes que moram em bairros periféricos e poderiam optar pelo crime como um caminho mais fácil. Com a ajuda do professor de basquete veem no esporte, uma possibilidade de se tornarem atletas. Ou como Hugo menciona “Se não crescerem como atletas, mas que cresçam como cidadãos”.

Podemos então concluir que em diversos casos relatados aqui no blog, o trabalho voluntário é sempre muito importante para quem recebe a ajuda, para as pessoas carentes que muitas vezes contam com aquele prato de comida, ou com aquele momento em que surge a possibilidade de aprender algo novo. Mas podemos perceber que não é apenas a comunidade ou a população carente que ganha com essas pessoas que se prontificam a ajudar a próximo, os próprios voluntários relatam em muitos casos o quão gratificante é esse trabalho, você poder ocupar seu tempo fazendo o bem, e proporcionando essa incrível troca de experiência entre o voluntário e aquele que carece da sua ajuda.

Anúncios